Feriado prolongado

29 10 2008

Vou ter que dividir o post em tópicos pra falar sobre o tempo que eu fiquei sem postar e sobre o feriadinho prolongado que eu tive! Mas antes de mais nada, deixa eu explicar que feriado é esse que ninguém sabe qual é: Desde que eu entrei na faculdade, simplesmente brotaram feriados no meu calendário. O dia da Independência virou Semana da Pátria, e o dia do Servidor Público virou 2 dias de folga! E já que eu tinha 2 dias de folga, fui de mala, cuia e namorado pra São Paulo!

Antes

Feriado chegando, ansiedade lá em cima, aula de Cálculo I em plena quinta a noite. O resultado não podia ser pior: Tirei 3,0 na prova que achava que tinha do superbemahazey e (não) me conformei. Provavelmente jantei pizza pra afogar as mágoas e fui dormir, já que tinha aula no dia seguinte…  Sexta, 6 e pouquinho da manhã, mandei o XY comprar pão e leite, tomamos café e chispamos pra aula junto com nossas malas, mochilas e cacarecos. Depois da aula, uma colega foi buscar a gente na faculdade, pegamos a estrada e lá fomos nós pra São Paulo! :D

A Viagem

Não, não é a música do Roupa Nova :| Pegamos a estrada lá pelas 10 da manhã, tudo corria bem até chegarmos na Pista Expressa: FECHADA. De lá, passando por Guarulhos e chegando no Tietê, foi mais de 1h30.  Ah sim, tudo estaria quase-bem se não fosse um pequeno detalhe: O calor infernal que fazia + XY dormindo no meu ombro e me deixando suada. Ok, deu pra conversar, não posso falar que foi tãããão ruim assim (mas que foi, foi).

O dia-a-dia

Sábado fui cortar o cabelo, ‘aparei’ as pontas (nessa brincadeira foi só uns 4 dedos mimimi ._.) e cortei uma franja decente. Ficou bem bonitinho, mas dá um pouco de trabalho pra cuidar, por causa do rodamoinho péssimo que eu tenho -.-
Domingo fui almoçar na casa da minha tia, e a única palavra que tenho para descrever o almoço é péssimo. Cara, a comida tava ruim e estranha, onde já se viu lasanha com molho e sem queijo? Nãopodenãopodenãopode *se desespera* ! A parte boa do dia foi que eu fui até a Liberdade passear (êêê) e comprei uma bolsa linda e maravilhosa de porquinho! *-* Ela é preta, meio quadrada e de ombro, com um porquinho de vinil (a mulher que vendeu disse que ela desenha e pinta no plástico rosa, aí recorta) fofo demais! Apaixonei <3
Segunda fui almoçar num rodízio de Sushi e comi até demais. Como é ruim morar na roça e não ter essas modernidades por aqui, quando a gente chega na cidade come por todos os dias que não comeu :~
No meu último dia na cidade, fiz duas coisas bem proveitosas: Fui visitar meu antigo colégio e fui na exposição do Einstein que tá acontecendo no Pq. do Ibirapuera!

Exposição: Albert Einstein

Lá no Parque do Ibirapuera tá tendo essa exposição sobre o Albert Einstein! Eu gostei bastante, mas achei um pouco cansativo pois tem muito material de leitura. Como o XY falou, talvez fosse melhor um guia para explicar as coisas.  Tem material pra todos os gostos: Histórico, Luz, Teoria da Relatividade, a bomba atômica… E muita coisa interativa! Descobri que se eu andasse a 50% da velocidade da luz, teria só 16 anos! A única coisa realmente ruim é o preço das lembrancinhas: Um caderno de 1 matéria custa apenas 35 reais! Ve se pode? Pelo menos o ingresso é lindo e holográfico! *-*

Escrevi bastante né? Fiz outras coisas como assistir ‘O Retorno da Múmia’ e jogar Guitar Hero, mas não vem ao caso. Depois de tudo isso, ainda tomei um Milk-Shake de ovomaltine no Bob’s da rodoviária e peguei a estrada de novo pra tcharan… Encontrar trânsito! Cheguei moida e cozida em casa, comi uma pizza (as always) capotei muito bem e acordei melhor ainda =D

Besos, XX ;*





“E a próxima vez que…

15 10 2008

… a gente brigar, a gente não fala nada, só vira a cara e vai embora e prontocabou.”

Foi assim que terminou uma conversa-briga séria da semana retrasada. Óbvio que depois disso ambos fizeram um esforço sobre-humano para não brigar, mas não deu. Tudo ia bem, até a entrega da P1 de Física I. XX, orgulhosa como sempre, queria ser a melhor da sala. XY, humilde como sempre, queria que XX saísse feliz da sala de aula.  Óbvio que isso não aconteceu, afinal de contas Murphy é o XX’s Best Friend .

“- Muito bem pessoal, vou entregar as provas: Fulano, Ciclano, XY, Beltrano, XX…

– E aí?

– Hm… 6.0 e você?

– 8.0”

[Em algum lugar do passado…

XY diz: “Deixei de fazer uma questão, se der sorte acerto tudo que fiz e tiro 8.0”

XX diz: “Poxa, eu fiz tudo… ]

XX, puta da vida por ter estudado pra car3ig0pfg a vida inteira e estudado pra prova , tem um ataque. (“Nossa, vai tomar no cu, putaquepariu, vai tomar no meio do seu cu!” *sic*) Pobre XY, fica com cara de bunda, fica chateado, fica triste, fica down and feeling blue e todas essas coisas aí. XX vai pra casa triste por ser um jegue, pega carona com um fulano qualquer (que a deixa num lugar totalmente desconhecido) e vai andando pra casa (ou tentando). No meio do caminho tem lágrimas, terra, tênis fazendo barulho de pum (tênis largo é uma desgraça…) e mosquitos voando. XX se acalma, chega em casa, espera XY chegar e começa a chorar de raiva.

O que eu quero dizer sobre essa novela toda é que deu briga. Claro que deu briga né? Eu sei que não é lá muito coerente brigar por causa de notas, mas por toda a minha vida eu sempre fui a nerd da sala, aquela que enquanto todo mundo se mata de estudar, vai lá e tira um 10. Apesar da faculdade ser mais difícil, isso não é motivo pra eu ir mal (principalmente quando eu estudo). SIM, eu sei que eu fui tosca, mas meu orgulho é algo difícil de se engolir, então não vou comentar.

W/e, não estou postando para discutir a minha escrotice em relação a notas. Estou postando para falar que esse negócio de “a próxima vez que…” não funciona. Se é relacionado a algo bom, claro que vai dar certo. Mas se essa próxima vez acontecer sem querer, não é nada mal voltar atrás.

Eu voltei atrás e continuo namorando. Estou mais feliz do que nunca, obrigada. =)

Edit:Eu e o XY ficamos felizes com os comentários do último post! Muito obrigada meninas que comentaram! ^____^

XX





Elizabethtown e Física

14 10 2008

Ou Física e Elizabethtown, tanto faz! Vou começar pela obrigação, afinal primeiro a obrigação e depois a diversão, como já dizia minha mãe (e meu pai, e minha avó, e minha tia…). Sebunda-feira, dia de ir para a faculdade ter aula de Física Experimental I, bondimaisobrigada. Claro que apesar das MILHARES de abelhas que sempre aparecem para fazer companhia para os alunos, a aula não é tão desagradável quanto parece (mesmo com o professor mais irritante do mundo). Acontece que aqui em roça-city estava calor. Não, não calor, mas calor, entende? Do tipo que estoura seus miolos, faz sua enxaqueca atacar very hard e de quebra ainda chama sua rinite pra fazer a festa. Ou seja: Eu estava uma pilha de nervos para ter uma aula sobre “Queda Oblíqua”, ou qualquer outra tortura que fosse.
Não fosse pelo meu querido e amado XY, acho que eu já teria morrido. Afinal de contas quem foi que matou os monstromons (também conhecidos como insetos) com uma régua? Tnx, love ya :** […] No fim das contas, acabei assistindo a tal aula chata e fugindo de uma aula de Cálculo I (reprovação é péééssimo) com o MESMO professorzinho, tomei um banho geladíssimo e jantei. Claro que já estou morrendo de calor, mas isso é (quase) relevante :D

Elizabethtown ★★★★

Após provocar um prejuízo de US$ 972 milhões para a Mercury, a maior empresa de esportes dos Estados Unidos, ao elaborar um tênis que foi um fiasco, Drew Baylor (Orlando Bloom) é demitido pelo magnata Phil DeVoss (Alec Baldwin). Ellen Kishmore (Jessica Biel), sua namorada, acaba com Drew. Ele decide cometer suicídio e estava para executá-lo, quando o celular toca. Drew atende e sabe através da sua irmã, Heather (Judy Greer), que o pai deles, Mitchell (Tom Devitt), morrera de infarto em Elizabethtown, Kentucky, cidade-natal de Drew. Heather diz que ela e a mãe deles, Hollie (Susan Sarandon), precisam do apoio dele e, além disto, teria de ir até Elizabethtown para ajudar a organizar o funeral. No vôo ele conhece Claire Colburn (Kirsten Dunst), uma aeromoça que lhe dá alguma esperança no futuro.

Ok, podem me xingar mas não achei o filme tão grande coisa assim. Ganhou 4 estrelinhas porque tem o Orlando Bloom, a trilha sonora é relativamente agradável (mesmo eu odiando ‘Free Bird’) e a idéia do mapa da viagem final é muito criativa. Achei meio tétrico a história de amor girar em torno de uma pessoa que já morreu (e no final ainda viaja), sem contar aquela esposa pirada na cerimônia o.O Não sei, idéia estranha… Outro ponto negativo é o fato de o filme acabar do nada, tipo… E depois? *se sacode* Mas como nem tudo são espinhos (que adaptação horrível ¬¬), achei bem legal o fato de não ser uma história de amor colegial bonitinha, em que tem famílias contra o relacionamento e uma ‘bitch’ que se envolve com o cara. Num balanço geral, o filme é bom mas deixou a desejar.

Agora já é hora de dormir, pois minha dor de cabeça está… Explodindo! :( Espero que gostem do Blog, e indiquem para outras pessoas!

Beijos, XX